O Vale do Araguaia

O Vale do Araguaia

O Vale do Araguaia

O rio Araguaia atua como uma fronteira natural para o Estado de Goiás, do Tocantins, do Pará e de Mato Grosso.  Até a sua junção com o Rio Javaés, este rio corre ao longo de três territórios que compõem o Vale do Araguaia. Do Alto Araguaia ao Baixo Araguaia, passando pelo Médio Araguaia, encontramos autênticos paraísos.

Na estação da seca, a descida das águas do rio Araguaia cria sublimes praias de areia branca, que os turistas vêm para desfrutar de junho a agosto. Em Barra do Garças e São Félix do Araguaia, elas oferecem um espetáculo impactante: é como à beira-mar, mas é realmente água doce ...

As belezas naturais deste rio atraem muitos viajantes, sejam eles curiosos ou apenas pessoas em busca de novos horizontes. E por uma boa razão! Uma fauna excepcional povoa o rio Araguaia: não só as espécies migratórias, mas também espécies endémicas raras como o Boto do Araguaia (golfinho de água doce). Uma quantidade impressionante de aves também vivem na área: Pica-pau-do-parnaíba, Uirapuru-verdadeiro, Colhereiro-americano, Cardeal-do-araguaia, Garça-da-mata, Chororó-de-goiás... Um verdadeiro paraíso para os amantes de pássaros e os amantes da ornitologia!

A partir de São Félix de Araguaia, a transição entre o Cerrado e a floresta Amazônica se intensifica. Além disso, as inundações sazonais do rio Araguaia, somadas aos do Rio das Mortes, formam zonas úmidas (áreas pantaneiras) estendendo-se às florestas inundáveis e à vegetação do Cerrado. Estas áreas de contato revelam um equilíbrio ecológico semelhante ao das planícies inundadas do Pantanal. Esses contrastes são observados até o extremo norte de Mato Grosso, onde se encontra a maior ilha fluvial do mundo, a ilha de Bananal.

Enfim, amantes da pesca esportiva aqui encontrarão a sua felicidade. De maio a outubro, o rio Tapirapé, o rio Suiá Miçu (afluente do rio Xingu) e muitos outros, estão prontos para  alegrar o coração dos pescadores. 

Se você prefere…

• Festas e shows? Programe uma visita na região entre os meses de maio e agosto, período de alta estação em decorrência das praias; você poderá assistir muitas apresentações de artistas locais e nacionais.

• A calma e a ausência de turistas? Prefira o mês de abril, quando o nível das águas ainda estão altos; é uma boa ocasião para visitar as inúmeras cachoeiras da região com um grande volume de água. Setembro também é  um mês de destaque, mas o calor escaldante deve ser levado em consideração.

• O misticismo? Vá nos meses de março e setembro, em pleno período de rituais místicos na Serra do Roncador, onde as comunidades esotéricas  perpetuam suas crenças e suas tradições.